Escola De Ballet Opera De Viena Envolvida Em Escândalo

blog-image
Compartilhe

Escola de ballet Opera De Viena envolvida em escândalo.

Criada em 1771, a Escola de ballet State Opera de Viena é uma das mais prestigiadas da Europa, atraindo jovens de todo o mundo. Acolhe cerca de 100 estudantes com idades entre os 10 e os 18 anos e os seus alunos podem integrar algumas das mais conceituadas companhias do mundo, como a Royal Ballet de Londres, o American Ballet Theatre de Nova Iorque e o Teatro Mariinsky de São Petersburgo.

Com tudo isso uma investigação do Governo foi instaurada após denúncias feitas na reportagem de uma revista austríaca ano passado. A publicação ouviu atuais e antigos estudantes que falam em diversos tipos de abusos, queixando-se de que alguns professores praticam “métodos do Século 19”. Com isso a escola está envolvida num escândalo que envolve abusos físicos, psicológicos e sexuais sobre jovens com idades que vão dos 10 aos 18 anos. Entre as denúncias está o fato de alguns professores encorajarem os estudantes a fumarem para permanecerem magros. Segundo testemunhos, os jovens bailarinos eram agredidos e humilhados devido à sua aparência física, sobretudo com referências ao peso, o que levava alguns a desenvolverem distúrbios alimentares como anorexia e bulimia.

A Comissão de Investigação concluiu que muitas destas acusações têm fundamento e considerou ainda que a Escola não oferece os cuidados médicos suficientes aos estudantes e que há um “desrespeito” pelo seu bem-estar.

O relatório considera também que o diretor da State Opera, o francês Dominique Meyer que esteve à frente da Academia durante cerca de uma década e que está de saída para se tornar no diretor do Teatro Scala de Milão, falhou no seu papel de supervisão.

Dominique Meyer já admitiu que “aconteceram coisas que não são aceitáveis” na Academia e disse que uma das professoras tinha se portado “muito mau”. Esta professora, de origem russa, já foi dispensada e, segundo alguns antigos alunos, teria imposto na Escola de Viena um regime de “exercícios de estilo soviético”.
Outro professor da Escola está suspenso após ter sido acusado de abuso sexual por um estudante de 16 anos. O Ministério Público austríaco investiga a denúncia.

Em paralelo a direção da Academia já reagiu às conclusões da Comissão de Investigação, e fez seu inquérito interno, e detectou “incidentes muito desagradáveis que são completamente intoleráveis” e que lamenta “profundamente”. Num comunicado, a Academia refere ainda que está a procura de desenvolver “um ambiente de trabalho positivo, de confiança, respeitoso e saudável” e a implementar “reformas significativas em várias áreas”.

Algumas das medidas anunciadas foram a redução do número de performances dos estudantes, a inclusão de uma cadeira sobre nutrição e imagem corporal e a contratação de psicólogos para apoiar os estudantes.
 

 

 

Ajude-nos a manter o trabalho da Dança Brasil!

Nosso jornalismo acompanha e divulga a arte da dança.

Está a serviço da arte da dança e da diversidade de opinião.

Há 27 anos, a Dança Brasil exercita o jornalismo transparente, fiel à verdade factual, atenta à diversidade cultural na área da dança.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores.

Faça parte da Dança Brasil! Assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica.

A arte da dança agradece.

Clique no link abaixo e faça sua assinatura anual por apenas R$ 55,00.

https://www.paypal.com/webapps/hermes?token=32F02702HK5524050&useraction=commit&mfid=1553687958902_64c5971e79a3b